Dor abdominal e seus principais motivos

O que é dor abdominal?

O abdome é uma área anatômica que é limitada pela margem inferior das costelas e diafragma acima, o osso pélvico (ramo púbico) abaixo e os flancos de cada lado.

Embora a dor abdominal possa surgir dos tecidos da parede abdominal que circundam a cavidade abdominal (como a pele e os músculos da parede abdominal), o termo dor abdominal geralmente é usado para descrever a dor originada de órgãos dentro da cavidade abdominal.

A área abdominal inclui órgãos como estômago, intestino delgado, cólon, fígado, vesícula biliar, baço e pâncreas. A dor abdominal pode variar em intensidade, desde uma leve dor de estômago até uma dor aguda intensa. A dor geralmente é inespecífica e pode ser causada por uma variedade de condições.

O que causa dor abdominal?

A dor abdominal é causada por inflamação (por exemplo, apendicite, diverticulite, colite), pelo alongamento ou distensão de um órgão (por exemplo, obstrução do intestino, bloqueio de um ducto biliar por cálculos biliares, inchaço do fígado com hepatite) ou por perda do fornecimento de sangue a um órgão (por exemplo, colite isquêmica).

Para complicar as coisas, no entanto, a dor abdominal também pode ocorrer por motivos obscuros, sem inflamação, distensão ou perda de suprimento de sangue. Um exemplo importante deste último tipo de dor é a síndrome do intestino irritável (SII).

Esses últimos tipos de dor são freqüentemente chamados de dor funcional porque nenhuma causa reconhecível (visível) para a dor foi encontrada. Um médico ou gastroenterologista pode ajudar a determinar a causa subjacente da dor na região abdominal.

Como a causa da dor abdominal é diagnosticada?

Os médicos determinam a causa da dor abdominal confiando em:

  1. Características da dor
  2. Exame físico
  3. Exames e testes
  4. Cirurgia e endoscopia

Diagnóstico – Características da Dor

As informações obtidas pelo histórico do paciente são importantes para ajudar os médicos a determinar a causa da dor. Isso inclui a maneira como a dor começa, sua localização, padrão e duração. Também inclui o que torna a dor pior e também o que a alivia. Sinais e sintomas associados, como febre, diarreia ou sangramento também são considerados.

Características da dor – A maneira como a dor começa

Quando ocorre a dor? Sempre? Mais frequentemente de manhã ou à noite? Se a dor vem e vai, quanto tempo dura cada vez? Isso ocorre depois de comer certos tipos de alimentos ou depois de beber álcool? A dor abdominal que ocorre após as refeições pode ser causada por indigestão. A dor ocorre durante a menstruação?

Essas são perguntas típicas que seu médico pode fazer e que podem ajudar a determinar a causa. Por exemplo, a dor abdominal que surge repentinamente pode sugerir um evento repentino, como a interrupção do fornecimento de sangue ao cólon (isquemia) ou obstrução do ducto biliar por um cálculo biliar (cólica biliar).

Características da Dor – Localização

Seu médico pode perguntar: A dor está em todo o seu abdômen ou está confinada a uma área específica? Onde em seu abdômen a dor parece estar localizada?

A localização da dor pode ajudar a diagnosticar certas causas, como apendicite, que geralmente causa dor no meio do abdômen, que então se move para a parte inferior direita do abdômen, a localização usual do apêndice. A diverticulite geralmente causa dor no abdome inferior esquerdo, onde a maioria dos divertículos do cólon está localizada.

A dor da vesícula biliar (cólica biliar ou colecistite) geralmente é sentida no meio, no abdome superior ou no abdome superior direito, próximo ao local onde a vesícula está localizada.

Características da Dor – Padrão

Que tipo de dor você está sentindo? É uma pontada ou uma dor forte? É uma dor surda? A dor também irradia para a parte inferior das costas, ombro, virilha ou nádegas? Você tem dor abdominal aguda que surgiu de repente ou a dor começou gradualmente e piorou?

Os padrões de dor podem ser úteis no diagnóstico da dor abdominal. Uma obstrução do intestino, por exemplo, causa inicialmente ondas de cólicas abdominais devido às contrações dos músculos intestinais e distensão do intestino.

A verdadeira dor tipo cãibra sugere contrações vigorosas dos intestinos. A obstrução dos ductos biliares por cálculos biliares geralmente causa dor abdominal superior constante (constante). A pancreatite aguda geralmente causa dor intensa, implacável e constante na parte superior do abdome e nas costas.

Características da Dor – Duração

Há quanto tempo você sente a dor pode ajudar a determinar a causa. A dor da síndrome do intestino irritável (SII), por exemplo, geralmente aumenta e diminui ao longo de meses ou anos e pode durar anos ou décadas.

A síndrome do intestino irritável pode causar sintomas alternados de diarréia e constipação. A dor da cólica biliar dura entre 30 minutos e várias horas, e a dor da pancreatite, um ou mais dias.

Doenças relacionadas a ácidos, como doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) ou úlceras duodenais, geralmente apresentam periodicidade, ou seja, um período de semanas ou meses durante o qual a dor é pior, seguido por períodos de semanas ou meses durante os quais a dor é melhor.

Características da dor – o que torna a dor pior?

O que você estava fazendo quando começou? A dor piora quando você tosse? Dói para você respirar? Dor devido à inflamação (apendicite, diverticulite, colecistite, pancreatite) geralmente é agravada por espirros, tosse ou qualquer movimento brusco. Pacientes com inflamação como causa de sua dor preferem ficar imóveis.

Características da dor – o que alivia a dor?

Alguma atividade como comer ou deitar de lado alivia a dor? Ficar parado ou se movimentar alivia a dor? Vômito melhora ou piora a dor?

Ações e atividades que proporcionam alívio podem auxiliar no diagnóstico. A dor da SII e da constipação geralmente é aliviada temporariamente pelos movimentos intestinais e pode estar associada a mudanças nos hábitos intestinais.

A dor devido à obstrução do estômago ou do intestino delgado superior pode ser aliviada temporariamente pelo vômito, o que reduz a distensão causada pela obstrução.

Comer ou tomar antiácidos pode aliviar temporariamente a dor das úlceras do estômago ou duodeno, porque tanto os alimentos quanto os antiácidos neutralizam (neutralizam) o ácido responsável por irritar as úlceras e causar a dor. A dor que desperta os pacientes do sono tem mais probabilidade de ser causada por causas não funcionais.

Características da dor – sinais e sintomas associados

Os sinais e sintomas podem ajudar a identificar a causa da dor. A presença de febre sugere inflamação. Diarréia ou sangramento retal sugere uma causa intestinal da dor. Febre e diarreia sugerem inflamação dos intestinos que pode ser infecciosa ou não infecciosa (por exemplo, colite ulcerosa ou doença de Crohn).

A colite ulcerativa e a doença de Crohn são dois tipos de doença inflamatória intestinal (DII). Essas condições podem ser tratadas com mudanças na dieta e medicamentos antiinflamatórios.

Dor aguda vs. dor crônica

A dor abdominal crônica é a dor no abdômen que ocorre continuamente ou é intermitente e que dura pelo menos 6 meses. A dor abdominal crônica pode ser causada por um problema em qualquer um dos sistemas localizados na área abdominal, incluindo estômago, vesícula biliar, pâncreas, fígado, intestinos, cólon, rins, ureter, próstata ou útero.

A dor abdominal aguda surge repentinamente e é intensa. A causa subjacente da dor abdominal aguda pode ser uma emergência médica ou risco de vida.

Às vezes, os pacientes com esse tipo de dor abdominal precisam de cirurgia. Informe o seu médico se a sua dor abdominal surgiu repentina ou gradualmente, se você a sente o tempo todo ou de forma intermitente e há quanto tempo você sente dor.

Intoxicação alimentar

Uma causa comum de dor abdominal é a intoxicação alimentar. A intoxicação alimentar é uma doença que ocorre quando você ingere alimentos contaminados com um organismo que pode deixá-lo doente.

Escherichia coli (E. coli) e Listeriasão apenas alguns microorganismos que podem causar intoxicação alimentar. A doença causa sintomas como cólicas estomacais, vômitos, diarreia, náuseas, dores de estômago e febre.

A intoxicação alimentar leve geralmente não é grave e se resolve sozinha. Certifique-se de beber eletrólitos para se reidratar se tiver diarreia e vômitos. Eletrólitos em pó que você mistura em água e bebidas com eletrólitos estão disponíveis sem receita.

Alguns casos de intoxicação alimentar podem ser graves e até fatais. Procure tratamento médico imediatamente se tiver sangue nas fezes, vômitos intensos, febre acima de 101,5 F, desidratação ou diarreia que dura mais de três dias.

Gripe estomacal

A cólica estomacal realmente não é uma gripe. O termo médico para a doença é gastroenterite viral. É outra causa comum de dor abdominal.

A gripe estomacal é uma infecção intestinal que causa sintomas, incluindo cólicas abdominais, diarreia aquosa, náuseas e vômitos. Algumas pessoas desenvolvem febre. É importante repor os eletrólitos perdidos quando se tem diarréia e vômitos de gripe estomacal.

Os adultos podem ser aconselhados a tomar medicamentos como loperamida (Imodium) ou subsalicilato de bismuto (Pepto-Bismol) para tratar a diarreia associada à gastroenterite viral. Consulte o seu médico se desenvolver sintomas graves ou se estiver desidratado devido a vômitos e diarreia com cólica estomacal.

Problemas com carboidratos

Certos carboidratos são difíceis de digerir para algumas pessoas e podem causar dor abdominal, desconforto, gases e distensão abdominal. A lactose é um açúcar encontrado no leite e nos laticínios.

A intolerância à lactose é uma incapacidade de digerir a lactose devido à falta da enzima lactase. Pessoas com intolerância à lactose podem ter gases, inchaço, dor e diarreia após comer leite ou laticínios.

A frutose é um açúcar encontrado em certas frutas como figos, damascos, mangas e outros alimentos. Algumas pessoas não possuem a enzima necessária para digerir a frutose e desenvolvem sintomas abdominais após consumir alimentos que contêm lactose.

A doença celíaca é uma condição que causa a incapacidade de tolerar o glúten, uma proteína encontrada em grãos, incluindo trigo, cevada e centeio.

Comer glúten danifica o revestimento do intestino delgado quando você tem doença celíaca. A doença celíaca também está associada a sintomas não abdominais, incluindo fadiga, osteoporose, depressão, ansiedade e outros sintomas.

Diagnóstico – Exame Físico

O exame do paciente fornecerá ao médico pistas adicionais sobre a causa da dor abdominal. O médico determinará:

  • A presença de sons vindos dos intestinos que ocorrem quando há obstrução dos intestinos
  • A presença de sinais de inflamação (por manobras especiais durante o exame)
  • A localização de qualquer sensibilidade
  • A presença de uma massa dentro do abdômen que sugere um tumor, órgão aumentado ou abscesso (uma coleção de pus infectado)
  • A presença de sangue nas fezes pode significar um problema intestinal, como úlcera, câncer de cólon, colite ou isquemia.

Diagnóstico – Exames e Testes

Embora a história e o exame físico sejam de vital importância para determinar a causa da dor abdominal, o teste geralmente é necessário para determinar a causa. Isso inclui exames laboratoriais, raios-X do abdômen, estudos radiográficos, procedimentos endoscópicos e cirurgia.

Exames e testes – testes de laboratório

Exames laboratoriais como hemograma completo (hemograma completo), enzimas hepáticas, enzimas pancreáticas (amilase e lipase) e urinálise são frequentemente realizados na avaliação da dor abdominal.

Exames e testes – Raios-X simples do abdômen

As radiografias simples do abdômen também são chamadas de KUB (porque incluem o rim, o ureter e a bexiga). O KUB pode mostrar alças intestinais aumentadas, cheias de grandes quantidades de líquido e ar, quando há obstrução intestinal. Pacientes com úlcera perfurada podem ter escape de ar do estômago para a cavidade abdominal.

O ar escapado geralmente pode ser visto em um KUB na parte inferior do diafragma. Às vezes, um KUB pode revelar um cálculo renal calcificado que passou para o ureter e resultou em dor abdominal referida ou calcificações no pâncreas que sugerem pancreatite crônica.

Exames e testes – estudos radiográficos

Estudos radiológicos do abdome do paciente podem ser úteis. Seu médico pode realizar um ou qualquer um dos testes associados listados.

Exames e testes – procedimentos endoscópicos

A endoscopia é o exame do interior do corpo (comumente do esôfago, estômago e partes do intestino) usando um instrumento flexível e iluminado chamado endoscópio. Exemplos de testes abdominais estão listados neste slide.

Diagnóstico – Cirurgia

Às vezes, o diagnóstico requer o exame da cavidade abdominal por laparoscopia ou cirurgia. A laparoscopia é um tipo de cirurgia em que pequenas incisões são feitas na parede abdominal através das quais um laparoscópio e outros instrumentos podem ser colocados para permitir que as estruturas dentro do abdômen e da pelve sejam vistas. Desta forma, vários procedimentos cirúrgicos podem ser realizados sem a necessidade de uma grande incisão cirúrgica.

Por que o diagnóstico da causa da dor abdominal pode ser difícil?

Os avanços modernos na tecnologia melhoraram muito a precisão, velocidade e facilidade de estabelecer a causa da dor abdominal, mas permanecem desafios significativos. Existem muitas razões pelas quais pode ser difícil diagnosticar a causa da dor abdominal. Eles são discutidos nos slides a seguir.

Dificuldades de diagnóstico – os sintomas podem ser atípicos

Por exemplo, a dor da apendicite às vezes está localizada no abdômen superior direito, e a dor da diverticulite, no lado direito.

Pacientes idosos e pacientes em uso de corticosteroides podem ter pouca ou nenhuma dor e sensibilidade quando há inflamação, por exemplo, com colecistite ou diverticulite. Isso ocorre porque os idosos apresentam menos sintomas e sinais de inflamação e os corticosteroides reduzem a inflamação.

Dificuldades de diagnóstico – os testes nem sempre são anormais

  • Os exames de ultrassom podem não detectar os cálculos biliares, principalmente os pequenos.
  • As tomografias podem não mostrar o câncer pancreático, principalmente os pequenos.
  • O KUB pode perder os sinais de obstrução intestinal ou perfuração do estômago.
  • Ultra-sonografias e tomografias computadorizadas podem não demonstrar apendicite ou mesmo abscessos, principalmente se os abscessos forem pequenos.
  • O hemograma completo e outros exames de sangue podem ser normais, apesar da infecção ou inflamação grave, principalmente em pacientes recebendo corticosteroides.

Dificuldades de diagnóstico – doenças podem imitar umas às outras

  • Os sintomas da SII podem imitar obstrução intestinal, câncer, úlcera, ataques de vesícula biliar ou mesmo apendicite.
  • A doença de Crohn pode simular apendicite.
  • A infecção do rim direito pode mimetizar colecistite aguda.
  • Um cisto ovariano direito rompido pode mimetizar apendicite; enquanto um cisto ovariano esquerdo rompido pode mimetizar diverticulite.
  • Os cálculos renais podem imitar apendicite ou diverticulite.

Dificuldades de diagnóstico – As características da dor podem mudar

Os exemplos discutidos anteriormente incluem a extensão da inflamação da pancreatite para envolver todo o abdome e a progressão da cólica biliar para colecistite.

Como posso ajudar meu médico a determinar a causa da minha dor abdominal?

Antes da visita, prepare listas escritas para as questões apresentadas. As respostas a essas perguntas podem ajudar o profissional de saúde a encontrar a causa da dor do paciente com mais rapidez e facilidade.

Esteja preparado para contar ao seu médico

Além disso, tenha respostas especificamente relacionadas à dor preparadas para o seu médico.

Após a visita ao médico

Não espere uma cura instantânea ou diagnóstico imediato. Freqüentemente, várias consultas e exames são necessários para estabelecer o diagnóstico e / ou excluir doenças graves. Os médicos podem começar a tomar um medicamento antes que um diagnóstico firme seja feito.

A sua resposta (ou falta de resposta) a esse medicamento às vezes pode fornecer ao seu médico pistas valiosas quanto à causa. Portanto, é importante que você tome o medicamento prescrito.

Notifique o seu médico se os seus sintomas piorarem, se os medicamentos não estiverem funcionando ou se você achar que está tendo efeitos colaterais. Não se automedique (incluindo ervas, suplementos) sem discutir o assunto com seu médico.

Mesmo o melhor médico nunca bate 1000, então não hesite em discutir abertamente com o seu médico referências para uma segunda ou terceira opinião se o diagnóstico não puder ser firmemente estabelecido e a dor persistir. A autoeducação é importante, mas certifique-se de que o que você lê vem de fontes confiáveis.

Uma alimentação saudável beneficia a sua saúde e retira a sua dor enquanto lhe ajuda a emagrecer, assim como detox caps para emagrecer faz, limpando seu organismo de toxinas e oxidantes desnecessários enquanto diminui seu peso na balança.

E o melhor de tudo isso é que não existem efeitos colaterais, justamente por se tratar de um produto 100% natural. Vale a pena conhecer!

E então, ficou alguma dúvida em relação ao conteúdo que trouxemos hoje?

Conte a nós, comente abaixo!

Até a próxima!